Buscar

O tempo fora do relógio

Ás vezes o tempo parece pouco, vamos entender sobre tempo e espaço?


Fim de mês de Julho, metade do ano se passou de acordo com o Calendário Gregoriano (que é Solar, diga-se de passagem), no entanto pra quem se baseia no Calendário das 13 Luas, o ano tá só começando!


Na Mesopotâmia antiga, o fluxo da civilização era o espaço, sendo que o tempo era a unidade de medida para espaço. O espaço possui o todo de 360° (graus) e era dividido em 12 partes com cada parte possuindo 30° (graus), o que nos traz um plano bidimensional, ou seja, de duas dimensões. Nesse contexto, aqueles que antecederam o Calendário Gregoriano, encontraram documentos históricos no Egito e na Babilônia sobre esse assunto e criaram o conceito da Geometria do Círculo. Esse é o início da história sobre o Calendário Gregoriano que tanto usamos.


Já o Calendário das 13 Luas é herança do povo Maia, uma sociedade pré-colombiana da América Central que viveu há 1000 a.C. e trouxe inúmeras contribuições pra nossa sociedade, como por exemplo a sauna, o futebol e a astronomia. Esse Calendário Maia é composto por 13 ciclos lunares, que nada mais é que 13 voltas da Lua em torno do planeta Terra (Movimento de Rotação).


Cada ciclo lunar acontece em 28 dias estando dividido em semanas com 7 dias e meses de 4 semanas. Nação do Arco Íris é o conjunto dos 20 símbolos presentes nesse calendário que representam arquétipos do comportamento humano, assim como os signos do Zodíaco.

Cada um desses calendários traz uma força de sincronização do ser humano com o Universo. Enquanto o Calendário Gregoriano tem a Frequência 12:60, a frequência do Calendário Maia é 13:20 e já te conto por que, segue o raciocínio.



  • 12:60 (doze sessenta) é a ordem do tempo de natureza artificial, inconscientemente aceito, resultado de processos de mecanização. 12 é o tempo irregular dos meses, já que cada mês possui quantidade diferente de dias. 60 é a divisão do dia em 24 horas de 60 minutos cada hora.


  • 13:20 (treze vinte) é a frequência de tempo natural, harmônica com os ciclos cósmicos/Universais e não se baseia na geometria do espaço, mas na compreensão do tempo como a quarta dimensão. 13 é a quantidade de voltas em torno do planeta Terra que a Lua dá em um ano. Para os Maias o número 5 representa a unidade e o número 20 equivale a uma pessoa. De um modo geral, 5 são os dedos da mão, conceituando assim unidade; 20 a soma dos dedos das mãos e dos pés, tendo assim a representação do ser humano.

Tempo pressupõe unidade, ordem, beleza, harmonia, igualdade, autonomia cabendo a nós o resgate desta consciência. Espaço não é unidade de medida de tempo, calendário sim é uma forma de medição. Tempo não é relógio, tempo é frequência. E, definitivamente, tempo não é dinheiro!

A contagem de tempo na visão maia inicia todo dia 26 de Julho, data que a estrela Sirius da nossa galáxia se encontra em sua elevação máxima em relação ao nosso Sol. O período de um ano de acordo com essa contagem vai do dia 26 de Julho do ano corrente até o dia 24 de Julho do próximo ano, sendo o dia 25 de Julho o Dia Fora do Tempo, uma data de maior conexão com a essência geradora de vida; momento que agradecemos pelos acontecimentos do último ano e intencionamos o melhor para o próximo ciclo. Fica aqui o convite da Experiência Vida de acordo com o Ciclos Lunares, algo que promove mudanças relevantes em todos os aspectos. Finalizo aqui com antiga profecia nativo americana:

“Quando a terra estiver em declínio e os animais morrendo, uma nova tribo de pessoas deverá surgir de dentro da terra, das muitas cores, classes, credos e que por suas ações tornarão o mundo novamente verde. Eles serão conhecidos como os Guerreiro do Arco Íris. ” Desejo que seu próximo ciclo tenha caráter extra-ordinário

Eu sou Luana Araujo, Pedagoga e Especialista em Medicinas Integrativas e Complementares


3 visualizações0 comentário