Buscar

A minha verdade pode ser diferente da sua


Você já deve ter ouvido falar em "Comunicação não violenta". Essa expressão se refere a uma comunicação realizada de forma compassiva e que só se torna assim quando a violência é afastada. Isso também me lembra o termo "rapport", você já ouviu falar?

Rapport significa criar uma conexão com a pessoa na qual você está tendo uma troca, estabelecendo uma comunicação aberta, segura e tranquila, na qual todos pontos de vista são considerados.


Precisamos entender que podemos ter conversas e trocas mesmo em momentos desafiadores com tranquilidade e amor, as conversas podem iniciar bem e terminar bem também e para isso precisamos deixar de lado o JULGAMENTO, pois se nos fixarmos nos pontos CERTO e ERRADO, BOM e RUIM, abrimos espaço para conflitos, já que esses pontos são relativos.

Lembre-se, o que é bom para alguém pode não ser para o outro e está tudo bem, pois nossa verdade não deve estar acima de outras.


Nossos julgamentos nascem a partir de nossas experiências pessoais. Talvez você lembre de alguém da sua família, muito próximo de você, que tenha julgamentos bem opostos aos seus mesmo tendo uma "mesma criação". Ainda assim a forma como cada um compreende os comandos, os acontecimentos da vida é diferente e precisamos respeitar.


As pessoas podem passar exatamente pelas mesmas experiências e dar significados diferentes a elas. Nesse sentido lembramos do quanto é importante trabalhar as informações que ficam guardadas no nosso subconsciente, as crenças limitantes.

Portanto, quando você for ter uma conversa com alguém, seja qual for o assunto, você deve partir do seu coração, da compaixão, dos seus sentimentos. Uma forma de resolver conflitos, ou seja, encontrar soluções é:


  1. falar sempre na primeira pessoa do singular (EU): fale de você e nunca do outro.

  2. falar sempre de sentimentos: nunca de julgamentos. Aproveite para expressar como você se sente diante de determinado acontecimento.

  3. seja objetivo, específico e fale no positivo: quando mais tempo durar a conversa maior a chance do assunto mudar e do conflito aparecer e até aumentar. FOQUE na mensagem principal.

  4. e se ainda assim não estiver sendo possível para você ter uma conversa tranquila, não converse na hora do conflito: se afaste, pegue um papel e caneta e seguindo as dicas 1, 2 e 3 escreva para após entregar a carta para a pessoa envolvida.


Procure estar de coração aberto para escutar as partes envolvidas, dentro e fora de você, pois muitas vezes passamos por cima dos sentimentos (nossos e dos outros), por agir por impulso, descontroladamente.


Lembre-se sempre: a sua verdade pode ser diferente da do outro.


12 visualizações0 comentário